O abrir e fechar das janelas

Desentendimentos interculturais podem surgir de onde se menos espera, bobagens corriqueiras, coisas que você sempre fez e nunca contestou o porque, e, janelas, por incrível que pareça, é uma delas. Isso porque, os alemães tem o costume de manter as janelas totalmente fechadas, e de preferência, a persiana baixa nos dias de calor, e abri-las, em intervalos regulares, no inverno. Como é que é? – indagam os brasileiros recém-chegados e em fase de adaptação.

Pois é isso mesmo, nos dias quentes de verão, regra é manter as janelas fechadas, persianas baixas nos horários de intenso calor. No inverno ao contrário, persianas sempre levantadas e abertura das janelas pelo menos três vezes ao dia para renovar o ar do ambiente, para entrar o tal do “frische Luft”, ar fresco.

Explicação: as construções na Alemanha não são feitas para dias quentes. Elas são feitas para isolar o frio e manter o calor dentro do ambiente. As paredes de uma casa ou prédio são revestidas, na parte de fora, por uma espécie de isopor muito grosso, somente depois desse isopor é que vem a massa corrida e a pintura das paredes. Pelo lado de dentro, as paredes são revestidas por um papel de parede resistente, o tal de “Tapete”, que não é o tapete do chão, pois esse se chama “Tepich”.

Portanto, se o calor entra dentro de um recinto, ele não sairá. O ar não circula, ele penetra e fica. O negócio é abrir as janelas para renovar o ar nos horários em que está mais fresco, de manhazinha e a noite, depois que escurecer.

E no inverno? Ahhh… aí é outra briga, outro desentendimento cultural. Para nós, brasileiros, deveria tudo ficar sempre fechado, que é para o calor não sair, mas, com a calefação ligada a maior parte do dia, o ar se torna muito ressecado, prejudicando a respiração. Aí não tem outro jeito a não ser abrir todas as janelas simultaneamente por cerca de 5 a 10 minutos, de preferência umas 3 vezes ao dia, para renovar o ar da casa, mas sem dar tempo de esfria-la completamente.

Assim que, caro leitor, se você já discutiu com algum alemão por causa do uso das janelas, dê o braço a torcer, pois nesse caso, eles tem razão.

Larissa d’Avila da Costa, Gilching Julho 2017